Archive for fevereiro \25\UTC 2010

Dieting

fevereiro 25, 2010

Chega uma fase que você realiza que tudo o que você gosta é ilegal, imoral ou engorda. Com o ilegal e o imoral tudo bem. É no engorda que a coisa complica.

Afinal, o mercado é competitivo, a paquera exigente e a praia implacável. E para ter quality assurance elevado, a gente tem que no mínimo corresponder as próprias expectativas.

E aos trinta a gente aprende que algumas coisas mudam. Se antes nego fechava a boca e já ficava trincado, hoje pode virar faquir que vai trincar só de fome.

Mas não é por isso que a gente vai jogar a toalha. Ou o garfo. Hoje dá para fazer dieta bacana sem viver de tofu. Claro que a sua geladeira vai parecer o setor diet do supermercado.

Fácil? Não é, como tudo na vida. Bóra pensar que no fim você vai ter um tanquinho pra chamar de seu. E uma clientela fiel sempre pronta a solicitar.

Anúncios

Micareta

fevereiro 18, 2010

Agora que acabou a folia a gente avalia o ridículo que essa data faz a gente passar. Primeiro tem a função do lugar. Vai pra onde, vai pular onde, em que camarote, qual praia… Tudo isso, uns bons três meses antes. 

Depois têm as festas. De que pessoa, que marca, qual abadá. Se vai ter pulseirinha, quem tem convite, quanto é, de quem puxar o saco… O que já acho cafona, mas, cada um cada dois.

E a malhação? Porque se você for da minha turma, vai suar a tanga antes mesmo de começar os reclames de Natal na TV. Não colega, não estou exagerando. Até porque eu sou um pouco assim #prontofalei.

Daí a imaginação corre solta. O playboy jura que vai fazer suruba em Jurerê. A gata cisma que vai pegar o Cris Rangel em Salvador. O gay tem certeza que vai casar na Praia Mole, ao invés de se drogar até cair e perder a camiseta. E a dignidade.

No final, fica a questão se toda essa via-sacra vale os cinco dias de folia. Não sei você, mas o único arrependimento que eu tive de algum carnaval, foi daquele que ainda não passei. E que comece o ano.

Estrela

fevereiro 12, 2010

É colega, enquanto você vai pular bloco, beber cerveja quente e fazer xixi na rua, eu vou ralar. Mas longe de ser uma reclamação porque é um job bacanudo com a Nicole das Pussycat Dolls. E se você não foi viajar, ou foi, mas vai ficar online:

. O tuit @tanavitrine faz a cobertura completa dos 2 dias de gravação.

Aqui tem o catwalk com a coleção [periguetismo fashion].

. E outros highlights no blog da marca, atualizado direto do estúdio.

Para quem já foi ou está indo, beijos e bom carnaval crianças.

up date: saca o mk of da Nicole Scherzinger para a C&A. http://bit.ly/bXwLFx

Summer issue

fevereiro 5, 2010

Chega o verão e todo mundo fica solto na vala. Tanta azaração acaba ocasionando a paixonite tropical, decorrente da união dos fatores lugar paradisíaco + nada pra fazer + um bom corpo solto do lado do seu.

Os sintomas começam a se manifestar quando você passa a jurar que achou o amor da sua vida. E achar normal rolar na areia, trepar na cachoeira e ir viver numa cabana feita de bambu e folha de coqueiro.

Tudo piora com o retorno a civilização. Primeiro as juras de amor, depois as promessas de reencontro e por fim, o bêjo me liga. E a pessoa, bem… Nem beija e nem liga. E você realiza que romance Lagoa Azul só tem em filme. E dos anos 80.

Vide a amiga que estava em Noronha jurando que tinha pescado um príncipe, com quem ia ter cinco filhos e uma casa com borboletário. De volta, descobriu que o tal príncipe não só tinha dona, como também cinco filhos certinho. E o  borboletário? Vai perguntar pra ela que ela super te diz onde é que tá.

Se vale o consolo, toda paixonite tropical passa. Não tem conto de fada que resista a uma semana de realidade. No fim, sobram recordações (boas ou não) e a promessa de nunca mais acreditar nesse delírio… Ao menos, até o próximo verão.

Lupa

fevereiro 3, 2010

Sim, uso óculos. No caso, escuros. E já tratei aqui da importância de se ter um bom par para quando o senso de urgência pedir. E como adquirir um bacanudo sai caro, invista num que tenha a sua cara (com o perdão do trocadilho).

Clássico – são imortais. Variam pouco no tipo (tartaruga, preto, marrom) mas combinam com quase tudo… De bom gosto, claro.

Colorido – foi grito no verão europeu onde era pecado usar qualquer coisa menos que vermelho. Te dá aquele ar hipster-londrino-íntimo-da-Lily. No caso, a Allen.

Giga– a equação para óculos grandes é simples. Se segurar o carão é cara de rika. Se não segura, de marciana na faxina.

Adereços na aste – Café Photo. Next.

Aviador – acho cool. não fica bem em todo mundo mas quando fica, imprime um ar beatnik que pode fazer a diferença quando se precisa.  

Espelhado – acho datado mas gosto. Bem verdade que num rostinho bonito fica lindo… Mas num rostinho bonito fica lindo até cicatriz, né?

Tempos modernos

fevereiro 1, 2010

Sempre que vira o ano a gente promete que no ano seguinte tudo vai ser diferente. Se você joga no meu time, um desejo que figura o topo da lista é ter mais tempo. Utopia, claro.

Tempo para gente como a gente é no trânsito ou no banheiro (onde dá pra ler, falar no cel, agendar reunião). Porque São Paulo é uma cidade que não combina com ‘ter tempo’. Até voando a gente já está atrasado.

Outro dia ouvi duma amiga que até arrumar homem sarado que não é gay está mais fácil que arrumar tempo. E no blog do Cristian Pior li que tem mulher fazendo o pé enquanto está no ginecologista. Zoação, claro. 

A real é que o tempo virou artigo de luxo. Mas não é por isso que a gente vai deixar de viver, sair, beijar. Exemplo, quem precisa dormir com uma ótima paquera e toda uma noite pela frente. Questão de prioridade. Eu tenho as minhas e você?

update: exemplo de otimizar tempo? em 2 horas [almoço] me troquei no carro, corri no parque, tomei banho em casa, fiz 2 filés, lavei a louça, voltei pro trampo #theflashfeelings