Bangkok

Dois amigos procuravam companhia pra fechar uma trip, minhas férias estavam para vencer e estava um frio de matar na Europa. Somei os três fatores e pá, um mês depois desembarcava no que seria o divisor de águas do que eu conhecia por viagem, a Tailândia.

Chegar em Bangkok é osso mas é superável, difícil mesmo é controlar a ansiedade. Mas tudo se esvai ao aterrissar naquela cidade enorme e colorida. De um lado você vê um sky trem e viadutos de 3 andares, e do outro encontra mercados flutuantes e feiras que vendem gafanhoto frito.

E os templos? São de tirar o fôlego. Os três principais são o da Alvorada, na beira do rio, uma coisa indescritível, o do Buda deitado e o do Buda Esmeralda, no bairro onde mora o Rei e onde homem não entra de bermuda nem mulher de saia.

Mas nem tudo é só sagrado. O profano está presente nos bairros de prostituição ou nos ping pong shows onde a mulherada faz miséria com a xoxota. A ambiguidade local se confirma no fenômeno dos lady boys, meninos que se vestem como meninas e convivem na sociedade de forma muito natural.

Em Bangkok não há drogas nem violência pois as leis são severíssimas. Há sim truqueiros em todo lugar, mas sendo brasileiro você tira isso de letra. A cidade convida a descoberta, mas depois de andar o dia inteiro a gente realiza que a maior delas não está na rua, na feira, nem no templo… Está na gente mesmo.

 

Anúncios

4 Respostas to “Bangkok”

  1. Adalton Says:

    Lindo!
    Como sempre um final de também tirar o fôlego…
    Seja feliz e iluminado, sempre!
    Um dia a gente se esbarra…
    Bjs!

    fofo. claro q sim

  2. Jettany Says:

    Sem drogas e sem violência, mas com gente truqueira?
    Parece a descrição do inferno.

    E você mente quando fala que não tem drogas nem violência, aquela picância toda da comida tailandesa produz muito mais efeito que muita droga. E quem já viu um show de pompoarismo, sabe a violência que uma xoxota treinada pode fazer. Prefiro tomar lâmpada na cara na Avenida Paulista, que ser acertada por uma bolinha de ping-pong lubrificada por secreções vaginais.

    Esse fenômeno dos lady boys tem muito na noite paulistana, já vi vários nas boates. E por aqui, o que é mais grave na minha opinião, muitos lady boys usam barba!

    colega, menos gym nessa tônica tá? conselho meu

  3. flaviacoradini Says:

    Gera, que inveja. Quero ir e quero dicas. Beijos com tanta saudade que chega a irritar.

    vou resolver essa questã… ps: visito sua agencia toda semana sabia? vou bater na sua mesa qquer dia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: