Archive for fevereiro \12\UTC 2015

Desencanado

fevereiro 12, 2015

desencanado

Você faz o estilo desencanado né, me perguntou o xóvem. Fui meio-que-pego de surpresa enquanto tentava entender se aquilo tinha sido uma ironia  (já bem sabendo que era) e acabei concordando no automático, tipo uma gordinha que diz que está grávida mesmo sem estar.

Quando a roda se dissipou pedi um gin-tônica e refleti sobre o assunto. Fato! No who is who do mundo sócio-cosmopolita-hipster-metrossexual-paulistano, possivelmente você seria considerado uma criatura do tipo desencanada. E não é uma coleção de pulserinhas bacanuda que pode mudar esse veredicto.

No segundo gin-tônica você já começa a entender os porquês. Acontece que pra pessoas como você, é bem difícil ser estiloso sem deixar de ser prático. Afinal, nada te brocha mais do que gente que anda com álcool-gel na mochila e esteriliza tudo o que toca. Me pergunto como essa gente transa!

E antes que você comece a me imaginar na idade da pedra, faço aqui um parêntese. Estar asseado (tentei usar outra palavra mas não encontrei), vestido apropriadamente e saber a hora certa de falar, e principalmente, de não falar nada, não significa ter estilo mas educação.

O que me leva ao garoto no começo. Ele ter razão não exime a deselegância da opinião disfarçada de crítica, ainda mais quando você não conhece a pessoa. Eu poderia ter comentado que acho broxante homem de maquiagem. Mas como ele mesmo colocou, ainda bem que que eu estou na categoria dos desencanados e não dos francos.

O estranho mundo do vestiário masculino

fevereiro 4, 2015

gym3

Vestiário de academia é um lance tenso. Magro, gordo, jovem, velho, ninguém fica confortável pelado num lugar lotado de espelho, luz branca e musiquinha de elevador. Não obstante, você ainda precisa lidar com aqueles personagens que deixam tudo ainda mais bizarro. Põe na tela:

O tiozão naturista. Aquela categoria de senhor que não tá nem aí e desfila bem a vontade pelo lugar brindando a todos com sua natureza senil-exuberante. Desconfio que o nosso plug-in do foda-se começa a rodar de verdade depois dos sessenta.

O manja rola. Aquele cara que passa mais tempo se secando dentro do vestiário que treinando na academia e fica de rabo (oi?) de olho manjando o pinto alheio. Reza a lenda que o cara nem gay é só tem essa… digamos assim, curiosidade.

O boleiro. Aquele tipo amigão que se troca enchendo o saco comentando sobre o campeonato paulista, brasileiro, europeu, libertadores, conmebol, ignorando o fato de que seu interesse é proporcional ao seu conhecimento de bola futebol, ou seja, nenhum.

O seguro de si. Aquele parça (sic) que se ama. Tem corpão, tattoozona, bundão, pintão. Ele é o máximo e sabe que todo mundo ali dentro (e lá fora, e no universo) quer ser ele, por isso anda peladão mesmo e fala com os brothers bem de pertinho, porque ele é macho e se garante.

O métro. Ele é metrossexual sim e desde que o assunto foi capa da GQ ele tem orgulho disso sim. Por isso, enfileira os produtos na pia sim e passa hidratante na perna de forma languida se olhando no espelho sim. Nas internas é chamado de Joãozinho do Secador.