Archive for the ‘comprinhas’ Category

Surpresas

janeiro 16, 2012

Todo Natal você ganha aquelas surpresinhas que as vezes nem são a sua cara, noutras, até meio supérfluas, mas que você curte demais. Tipo…

Despertador com acelerômetro. É aquele em que a tela se adapta quando o relógio fica de ponta cabeça. Curti demais. Primeiro porque não ganho um quase brinquedo há décadas. E porque aposentei o iPhone dessa função.

Mocassim. Isso eu queria ter faz tempo, mas nunca comprei porque achava acho playboy demais. Acabei ganhando e admito, faz uma semana que não tiro do pé. É tão confortável que lembra uma Croc versão condições.

DVD. Muita gente acha DVD the end of the picada. Eu, por exemplo ganhei (do Pearl Jam e do David Bowie) e pohãn, gostei demais. Mas se você é dos que não gostam, só dizer onde que eu busco tudo.

Biografia do Boni. Me amarro em biografia. Li a do Walter Clark (O Campeão de Audiência) e quando saiu a do Boni pensei, é tipo “o resgate” depois de “o oitavo passageiro”, duas obras que se complementam e…

… Exagerei? Bom, acho que é o vinho de ontem fazendo efeito…

A menina com pano

março 21, 2011

Quer descobrir se o outono chegou? Procura pela menina com pano. Basta o tempo virar que elas surgem tipo flash mob da NiaziChohfi.

Para entender a menina com pano basta entender que mulher tem mais frio que homem. E sendo Sampa capaz de 4 estações num dia só, qualquer brisinha faz ela sacar seu pano salvador.

Claro, na frente da sua namorada, amiga, mãe, o nome é xale, cachecol, pachimina, lenço zzzz. Até um birô de tendência xis inventar outro hit e todas elas seguirem o hype da vez.

Ano passado foi o lenço árabe. Achava até estiloso. Até as guêy descobrirem a história do pano. Daí ferrou-se! Chefava no Dedge, tomava todas e me sentia no filme Gaiola das Loucas versão Al Qaeda.

No começo não entendia porque as garotas não usavam logo um casacão. Até que uma amiga bem franca ajeitou o decote e explicou a diferença do que deve ser coberto e o que não deve nem debaixo de neve.

O verão se foi. Que seja bem-vindo o outono. E todas as estilosas meninas e seus panos fashion.

Mom

maio 6, 2010

Agora que a gente tá grandinho entende o que é ser mãe. Não colega, não dei a luz. Mas algumas amigas deram. E hoje conciliam uma vida profissional com essa tarefa.

Porque tô falando disso? Meu último trabalho teve esse tema e a gente quis falar dessa mãe de hoje. O conceito foi “uma visita no trabalho da mamãe”, no caso, o backstage dum desfile.

Claro que construímos um backstage inteiro, com forte referência aos camarins do McQueen. Muita luz, off black, glam e sedux, porque parede de tapume e chão de camurça ninguém merece.

Aqui o filme. Aqui o making of. E aqui o site pro filho aprender a comprar roupa pra mãe.

Lupa

fevereiro 3, 2010

Sim, uso óculos. No caso, escuros. E já tratei aqui da importância de se ter um bom par para quando o senso de urgência pedir. E como adquirir um bacanudo sai caro, invista num que tenha a sua cara (com o perdão do trocadilho).

Clássico – são imortais. Variam pouco no tipo (tartaruga, preto, marrom) mas combinam com quase tudo… De bom gosto, claro.

Colorido – foi grito no verão europeu onde era pecado usar qualquer coisa menos que vermelho. Te dá aquele ar hipster-londrino-íntimo-da-Lily. No caso, a Allen.

Giga– a equação para óculos grandes é simples. Se segurar o carão é cara de rika. Se não segura, de marciana na faxina.

Adereços na aste – Café Photo. Next.

Aviador – acho cool. não fica bem em todo mundo mas quando fica, imprime um ar beatnik que pode fazer a diferença quando se precisa.  

Espelhado – acho datado mas gosto. Bem verdade que num rostinho bonito fica lindo… Mas num rostinho bonito fica lindo até cicatriz, né?

Package

dezembro 23, 2009

Quando se deixa as compras de Natal na última hora cabe atentar a certas regras. Preparado? Vem comigo:

. Nessa época a finesse vai pras picas. Se prepare para ver velhinhas roubando sua vaga, furando fila e te empurrando na loja.

. E shopping popular é melhor que chique. O motivo? Os primeiros são preparados para o volume (de carro, gente, vendas) os chiques não.

. As lojas se enchem de vendedores extras, também conhecidos como saco-de-velho (ficam para lá e para cá sem saber direito o que fazer).

. Tudo acaba e, o que tem, não tem no seu número. Creio que se você precisasse de roupas nesta época, ficaria pelado.

. A rua Oscar Freire ganha o apelido de Vingt Cinq de Mars, de tão lotada. Mas, ainda assim, lotada de gente que você daria o mindinho por uma proza.

. Por fim, não sofra. Vai as compras? Leve na carteira meio comprimidinho de fluoxetina que tudo vai ficar muito, muito mais divertido.

Mondo bl@ckberry

novembro 18, 2009

–       Como foi o médico?

–       Curti. Atendimento super prime.

–       Particular né querido!? Vai de convênio para ver!?

–       Achei first class

–       Já viajou na primeira?

–       Nunca… Comparo sem referência. 

–       Li que o atendimento aqui é melhor que na Champs Elisée

–       O medico?

–       Não, o de loja. Tomba Milão. Mas perde pra Rodeo Drive.

–       Deve ser por isso que vivo no cheque especial.

–       Pois eu parei com tudo… Não posso gastar mais nem uma agulha.

–       Sei. E você está onde?

[silêncio ao fone]

– Na Oscar Freire… Mas olha, não é nada para mim…