Archive for the ‘sisintindo’ Category

Desencanado

fevereiro 12, 2015

desencanado

Você faz o estilo desencanado né, me perguntou o xóvem. Fui meio-que-pego de surpresa enquanto tentava entender se aquilo tinha sido uma ironia  (já bem sabendo que era) e acabei concordando no automático, tipo uma gordinha que diz que está grávida mesmo sem estar.

Quando a roda se dissipou pedi um gin-tônica e refleti sobre o assunto. Fato! No who is who do mundo sócio-cosmopolita-hipster-metrossexual-paulistano, possivelmente você seria considerado uma criatura do tipo desencanada. E não é uma coleção de pulserinhas bacanuda que pode mudar esse veredicto.

No segundo gin-tônica você já começa a entender os porquês. Acontece que pra pessoas como você, é bem difícil ser estiloso sem deixar de ser prático. Afinal, nada te brocha mais do que gente que anda com álcool-gel na mochila e esteriliza tudo o que toca. Me pergunto como essa gente transa!

E antes que você comece a me imaginar na idade da pedra, faço aqui um parêntese. Estar asseado (tentei usar outra palavra mas não encontrei), vestido apropriadamente e saber a hora certa de falar, e principalmente, de não falar nada, não significa ter estilo mas educação.

O que me leva ao garoto no começo. Ele ter razão não exime a deselegância da opinião disfarçada de crítica, ainda mais quando você não conhece a pessoa. Eu poderia ter comentado que acho broxante homem de maquiagem. Mas como ele mesmo colocou, ainda bem que que eu estou na categoria dos desencanados e não dos francos.

Anúncios

Euro Boy

agosto 13, 2012

Você se dedicou, malhou bastante, encarou shakes de baunilha e chegou na etapa final para ser aceito nas fervidas areias de Mikonos: escolher o tipo que você vai fazer na praia…

Ah, você não quer fazer tipo? Você quer ser você mesmo? Colega, lugar pra idealismo é o Posto 9 não a Grécia. A seguir, um resumo simples dos estilos que imperam por lá, basta rememorar seus brinquedos de infância, escolher um e ser feliz.

Estilo Ken: hit absoluto. Alto, definido, cara de nada, cabelo divididinho pro lado. O andar é duro, tipo bonequinho. Cabe acessórios como óculos, sungas, jóias. Sendo grife, tá valendo. É meio gay, mas diz que é assim mesmo (até porque, em Mikonos tá tudo em casa…)

O Falcon: Quem nunca teve um? Barba rala, cabelo bem cortado na máquina, que pode ser claro ou escuro (porque tinha 2 modelos). Pra você que acha puxado ser full metrossexual, vale lembrar que o Falcon tinha até pêlos no corpo. Eu faria… O estilo colega, o estilo.

Comandos em Ação: Todo articuladinho, troncudinho e definido. Digamos que é o corpo que mais se assemelha a realidade. Sempre vinham vestidos em uniforme de guerra, mas, se levarmos em consideração o fervo da ilha, fica até providencial. 

He-Man: Ficava de cara com o tamanho da coxa do He-man, um lance meio fisiculturismo. Na vida real acho bizarro esse tipo, que não rola muito nas praias da Europa. Coincidência ou não, era o único boneco sem volume embaixo da tanga. Dó, né?

[PS: Saio de férias pra Grécia e Turquia. Posts direto da EUR em breve. Abraços]

O plêiba

março 10, 2011

Playboy me dá preguiça. Mas pior que ele é o genérico dele, o plêiba. Que é aquele cara que não é muito rico, nem muito educado e nem muito culto, mas que é igualzinho ao playboy original na arte de fazer cagada.

A gente reconhece o tipo fácil. Plêiba que é plêiba bate ponto nas boates da moda tudo. Também não se importa de ficar horas na fila de desconto. E quando finalmente entra (quando entra) é aquele que arruma confusão.

Plêiba também gosta de acelerar na noite. De preferência num carro tunado que tem buzina que fala “gostooosa”. Isso na ida. Porque a volta ou é de ambulância ou gincho depois dele beber todas e abraçar um poste.

Plêiba também ama se vestir no último grito. E o gosto deles para roupa é muito parecido com o deles para música (entenda essa frase como quiser).

Se você é plêiba nada contra você falar alto, ser cafona ou arruaceiro. Mas sensualizar mastigando o chiclete de boca aberta enquanto joga o cabelinho, acho foda.

Surfismo

dezembro 14, 2010

Antigamente loja de surf era lugar de comprar bermuda pro irmão mais novo. Hoje, virou sinônimo de roupa descolada, tecido moderninho e preço estratosférico. É o surfismo dando a letra do que vai ser a moda pro verão.

Nessa, foram as marcas cariocas tipo Osklen, Reserva e Redley que saíram na frente pulando de Ipanema direto pros shoppings de bacana de São Paulo. Natural, já que ninguém entende do beach way como no Rio.

Nas lojas, a cartilha é a informalidade. Vendedores e vendedoras que parecem ter saído da Lagoa Azul, forçam uma intimidade dentro de calças saruel, fazendo você se sentir numa montagem de sonhos de uma noite de verão versão clown.

Nessa, uma gola V pode custar a parcela de um carro, enquanto um tênis, a de um belo apê. É que esse tecido é importado dos Açores, explica o vendedor, enquanto tenta te convencer a bancar a passagem da camiseta.

No fim você leva tudo. Um risco fashion calculado. Afinal, camuflagem ainda é a melhor estratégia para o approach da categoria, que se por um lado não tem nada na cabeça, por outro tem muita saúde pra dar. Que venha o verão.

Brilhe em 2011

dezembro 8, 2010

Alto(a), baixo(a), magro(a) gordo(a), hétero, gay. Tirando pra quem quer dormir com você isso importa cada vez menos. Mas importa (e muito) o jeito que você se veste, age e se mostra. Então colega, senta aqui e deixa eu te contar um negocinho pra ter rikeza e poder em 2011:

. Você que fala demais é um perigo. Sobretudo para si mesmo. Uma dica que pode ajudar você numa rodinha nova: ocupe a boca. Fume, beba, beije mas fique ao máximo calado e guarde seu brilhantismo pro seu labrador.

. Você gosta de moda? Ótimo. Mas está na hora de você se conformar que se destacar pelo figurino, em qualquer lugar do mundo, é um erro. Elegância rima com discrição. Quer brilhar? Monange Hidrasháine. E só.

. Essa dica é meio dura. Preparado? Sorrir é cartão de visitas. Você ganha o suficiente para um bom dentista te deixar com aquele piano na boca. Se precisar, parcele. Tudo bem gostar da Luciana Gimenez mas o seu padrão de qualidade tem que ser Globo. Sempre.

. Outra coisa, intimidade no trabalho só para amigos. E amigos no trabalho não existem. Pegou? E sim, aquela amiga que te elogia todo dia quer mesmo é te ver morta. Homens, há exceções. Mulheres, é regra.

. Todo bonzinho morre coitadinho. Seja firme com quem passou por cima de você, não importa a razão. Não aconselho dar troco, mas se for dar, dê de forma que a pessoa tenha medo de você pra sempre. Certas coisas não se perdoam e ponto final.

Tudo acima foi testado pessoalmente, afinal, de alguma coisa vale estar na casa dos trinta. Como saber se você está no caminho certo? Descubra o que andam falando de você. Se for muito, muito mal, pode continuar. O sucesso é por aí querido.

Pedreirismo

setembro 15, 2010

A pedreragem você já conhece. O que você não sabia é que isso virou fundamento de estilo e agora se chama pedrerismo.

Cá pra nós, o que rolou foi a volta da barba e do visual bem street. E dessa vez quem ditou a moda não foi o verão europeu, foi a necessidade.

Nego percebeu que a barba disfarça certos ‘não atributos’ e bingo. Portanto, fique esperta garota, por trás daquele barbudo conceito que ama OkGo, pode morar um cadidato ao troféu Ney Paraíba.

Depois tem o lance do tamanho. Que consiste em você sair com aquela roupa que parece que foi tungada na Campanha do Agasalho 2006, muito larga ou muito curta, tudo fora de número.

Pra completar o trend basta uma camiseta furada e suja de tinta. Você ainda pode dizer assim, como quem não quer nada, que sai desse jeito porque fez artes na Faap. Pronto colega. Agora é fazer cara de nada e arrasar no Doroty Parker (zzzz).

Tem coisa

setembro 10, 2010

Tem coisa que a gente diz que não usa, mas usa. Na viagem, em casa, escondido, mas usa. E tem coisa que você não usa nem por grana (brinqs né, que por grana a gente faz coisa pior). Enfim, vamos a elas:

Calça capri – foi hit duma era, hoje é o supra sumo do brega. Pra você que guarda a sua com carinho, uma dica de uso: com camiseta sem manga + papete + plaquinha com o preço do caranguejo.

Chapéu – Não sei porquê mas acho creyço bacarái. Vejo nego de panamá na balada e quero morrer afogado na viborova (com gelo). Tento gostar, mas…

Cachecol jogadinho – Sabe, soltinho no ombro? Uma coisa cheguei-agora-de-bruxelas? Não sei explicar mas me dá uma vergonhinha. Gosto é gosto.

Sapatênis – o novo sapato caramelo.

Parca – era louco pra ter casaco de couro e meu pai me dava parca. Tive umas dez. Hoje tenho paúra. Acho que é um lance trauma mesmo. Certeza.

Amizade de gente errada – não é roupa mas, como disse minha amiga Esté, fica pendurado na gente, então tá valendo.

Momento

junho 18, 2010

Ano passado tive a sorte de pegar a Pride em Paris. Descendo o boulevard Saint-Germain, três dias após a morte de Michael, o DJ lançou Beat it. O dia estava lindo, o povo emocionado, eu meio bêbado e pá… Tive um momento.

Ter um momento é realizar aquele segundo em que o tempo para e que, por um instante, o mundo vale muito muito a pena de se viver.

Ninguém precisa viajar pra ter um momento. Já tive momento com os amigos sentado na rua, namorando em casa e até sozinho vendo um filme. Tem mais a ver com seu estado de espírito do que com o lugar.

Ruim é perceber que apesar da nossa pretensa vida cool, esses momentos estão cada vez mais raros. E que se antes você era mais xucro, também aproveitava mais.

Mas também não é o caso de dramatizar. Borá é rever uns conceitos e focar no que importa. Afinal, pior que uma vida sem momento é uma vida sem condição (sic). Falei.

Clube Lions

junho 15, 2010

São Paulo. Sexta. Oito graus. Na porta do Clube Lions você pula para dentro festa Buáti, a nova sensação do eixo Rio-SP.

Sendo semana de moda, festa disputada e clube sensação, você dá graças a deus de furar o tumulto com dois beijinhos na hostess e nem confiança.

O lugar bem que impressiona. Muito espelho, madeira e couro. But Nothing Compares a varanda giga, com vista para a Catedral da Sé.

O som é bem bom e a frequência, ao menos nesse dia, estava linda e bem nascida. Diz que as outras noites são igualmente incríveis. O lugar chegou pra confirmar.

Vale lembrar que clube tem público beeem diversificado, vale ver a programação. Depois, é só chamar a paquera prum drink na varanda que o cenário de cinema faz 50% do trabalho pra você.

Pessoa Wallpaper

junho 10, 2010

Ser conceito tá na moda. Ser conceito é fancy. Ser conceito vai te levar a algum lugar (se deus quiser longe de mim). Para ser conceito você precisa:

. Primeiro de tudo se vestir conceito. Cosplay te diz algo?
. Fazer cara de desprezo. Dependendo da compleição nem precisa de esforço. Brincadeira.
. Ter um animal conceito. Teve a moda do coelho, da iguana, do furão. A do momento é do buldogue francês. Que não deve vingar porque cão dura muito.
. Não tirar o ipPod do ouvido. Nem entre amigos. Som ambiente é mainstream demais para a pessoa conceito.
. Chamar os designers pelo apelido. Exemplo: viu a coleção drama do Rey?
. A-mar o trabalho do Gondry.
. Usar maquilagem. Mas se me permite um toque não abusa do verde não, vai que a Nasa te prende, ?