Archive for maio \31\UTC 2010

Cold case

maio 31, 2010

A gente percebe que o inverno chegou em São Paulo por três coisas. O frio. A oferta de panela de fondue (aliás, não entendo o elân de SP com fondue). E a criatividade paulistana pra se vestir.

Em SP o frio é uma licença para ousar. A meu ver conjugar ousar com vestir é coisa pra celebridade e travesti. Mas como nem todo mundo pensa assim, a temperatura cai os modismos sobem.

Sampa lança tendência no inverno como a Bahia lança axé no verão. O último é a volta do chapéu. Usar chapéu me causa conflito. Vejo na Vogue e acho o máximo. Vejo nas ruas e acho creiço bacarái.

Tenho a impressão de que toda vez que um xucro como eu coloca um chapéu, morre uma fada.

Afinal, existem coisas na vida que até ficam bem em você. Outras que só ficam bem nos outros. E outras não ficam boas em ninguém… E não adianta insistir.

Anúncios

Stalking Beyoncé

maio 27, 2010

Tá no ar a campanha que a gente fez com a Beyoncé. E digo, trabalhar com celebridade desse naipe é tipo depressão na micareta, drama e alegria.

Drama porque o police é forte, o staff  é chato, blá blá blá. Alegria porque a mulher é diva, é pop star e você sabe que vai rolar um cometa Harley até trabalhar com outra assim.

Aqui o filme, Aqui o making of. Mas o off do off colega, só conto hoje na mesa do Ritz.

Efeito medusa

maio 18, 2010

Outro dia, beckembauer no mão e controle remoto na outra, realizei para aquele tipo de imagem que aterroriza a gente mas que a gente não consegue tirar o olho. O efeito medusa. Vamos a isso:

. A boca nova do Amaury Júnior. Se não fosse o reclame tava frozen até hoje.

. Gente atacada por animal selvagem #midivirto #prontofalei

. Teatro amador. Com nudez.

. O programa da Luciana Gimenez.

. Homem de luzes. E que joga o cabelo.

. Criança prodígio (pavor.com/uk)

. O abdômen mutante do Ryan Reynalds.

. Já falei da Luciana Gimenez?

(Des)Amarração

maio 7, 2010

Arrebentei meu cordãozim de ouro. Tava na piscina, o dia tava lindo, o sol brilhando, acreditei na saída drama e pá, arrebentei.

Na semana seguinte dirigindo para o trabalho enrosquei o escapulário no cinto de segurança e arrebentei também. E nessa semana fiz uma manobra radical com o mouse e pá, foi-se a pulseira do relógio.

Pode? Três acessórios no prazo de um mês. Mas já mandei consertar tudo e no paralelo pensei em comprar um relógio decente, já que o bacanudo eu perdi numa festa bafo, junto com uma nesga de dignidade.

Ainda tiveram os amigos gongando, dizendo que eu estava carregado, que era para eu andar com sal grosso, alho e por aí vai. Carregado para mim é quem mistura destilado com fermentado.

Mas na dúvida pus no pulso um outro acessório, mais barato, colorido e com a bênção do Nosso Senhor do Bonfim. Que proteção, sexo e dinheiro, nunca é demais.

Mom

maio 6, 2010

Agora que a gente tá grandinho entende o que é ser mãe. Não colega, não dei a luz. Mas algumas amigas deram. E hoje conciliam uma vida profissional com essa tarefa.

Porque tô falando disso? Meu último trabalho teve esse tema e a gente quis falar dessa mãe de hoje. O conceito foi “uma visita no trabalho da mamãe”, no caso, o backstage dum desfile.

Claro que construímos um backstage inteiro, com forte referência aos camarins do McQueen. Muita luz, off black, glam e sedux, porque parede de tapume e chão de camurça ninguém merece.

Aqui o filme. Aqui o making of. E aqui o site pro filho aprender a comprar roupa pra mãe.