Archive for agosto \30\UTC 2011

Dita dura do corpo

agosto 30, 2011

Mudam as estações, mudam os padrões. E como eu sei que você vai querer fingir condições na areia de Jurerê, vale conferir as novas tendências estéticas que têm aparecido por aí. Vamos a isso.

Full depilismo: começou com os praticantes de musculação mas hoje os boy tudo faz (sic). Consiste em depilar não só o peito mas também o braço, a perna e sabe-se o que mais. Cá pra nós, braço raspado é uma imagem estranha.

Frutismo: Um hit das areias cariocas. Fundamento feminino onde a pessoa tem a coxa e a bunda do tamanho daquelas frutas que matam. Tipo jaca. Acompanha o combo “bronze câncer estágio 4 + peito siliconado + nome cafuçu tatuado no pulso”.

Ronaldofenomenizar: que é você exibir num calção corpo aberto no espaço aquele shape trabalhado na polenta com chope. O ícone é a barriga definida, no caso, que você definiu que assim está ótemo e que se dane o mundo.

Capôsismo: também conhecido como cameltoezismo. Bom, como eu explico isso? Bóra pular essa?

Reguismo: considerando tatoo um item estético, são aqueles desenhos (que ninguém liga pro significado) estrategicamente posicionadas na ascendência do rego, forçando a sua miopia a ajustar o foco onde não deveria… Se bem que, né?!

Festa hype

agosto 11, 2011

Salvo exceções, a única emoção de festa hype costuma vir do quiosque de caipirinhas. Mas se você prestar atenção direitinho no cerimonial da cafonalha galera diferenciada, dá até para pontuar.

Primeiro, festa hype não se chega em turma. No máximo um amigo, do tipo que não dá vexame. Porque os meus, por ex, bebem demais e terminam catando alguém do staff no banheiro (mas quem nunca?).

Também não vale confundir hype com animada. Descer até o chão nem se o brinco cair. E mesmo que sua geladeira esteja uma solidão só, desencane de comer. Não há sexy-appeal que resista a boca mastigando. Hálito listerine paixão seeempre, colega.

Estando no inferno abrace o capeta. Beba, circule, só evite as rodinhas nos privativos (aka de padê*). Abra os trabalhos com um drink (pra espantar timidez) e reveze a cara de cu (pra geral) com a cara de fofo (pras paqueras). Dentes feio? Cara de mistério, que tem seu elãn.

Por fim, se você não chegou de Maserati não dá para querer sair de lá com um avião. Paquere alguém que você dê conta, afinal, mais vale um prosseco na mão que dois voando. Daí é só deixar o tempo correr (quédizê, a bebida subir) e, como se diz, bon bonne chance.

 

* se você precisa de explicação do que é padê, confia em mim, melhor trocar de blog.